quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Retrospectiva de corrida 2015

Fala amigos runners.
Último dia do ano, e como costume "bora" para a retrospectiva do ano.

O ano de corrida para mim iniciou com a prova do Taxista onde consegui o pódio de campeã na categoria.

Site: Olho no atleta


Participei da Oral B e nem cheguei entre as 5 primeiras, o pior foi o meu tempo. Misericórdia!
Fazer o quê?! Esquece e parte pra outra.


Foi o que fiz. No dia 22 de Março participei da 1ª LF Running Parque Ecológico do Tietê, sendo 3ª colocada na geral feminina.



Em maio veio a vice colocação nos 12 Km da Corrida Base Aérea em Guarulhos, onde eu cai, levantei, cai de novo, levantei e depois outro tombo, mas levantei e continuei correndo toda machucada, as fotos são as melhores.


Eu no gelo

Sei que o mês dos enamorados é em Junho, mas os organizadores da tradicional Corrida Santo Antônio em Osasco - SP, adiantaram a prova para o mês de maio e mais uma vez vice campeã.


Próxima de terminar a faculdade e com TCC concluído, finalmente uma vitória na geral feminina, os 18 KM da Corrida Eco Race.



Eu e o papitreinador na Eco Race


E para dizer que o mês de Junho foi um sucesso para mim, corri os 10 Km do Bombeiro na casa dos 41. Só quem corre o Bombeiro sabe que a Nazaré é top, top de difícil, cansativa, inclinada, dolorida...


Foto da chegada

Em Julho veio a minha segunda meia maratona da minha carreira. Um recorde pessoal não veio junto, mas a satisfação de concluir a prova e naquelas condições sim. Quarta na geral feminina.

Foto de @popcornrunbr


E depois a dolorosa Corrida Bonsucesso com seu percurso nada fácil. Como dizem, é onde o filho chora e a mãe não vê. Minha mãe não foi nessa prova, mas o papitreinador como sempre em TODAS as que já participei estava lá me esperando na chegada, mas não me viu "chorando" durante o percurso, (nunca chorei de verdade em uma corrida, mesmo o dia que um Staff me empurrou, ou aquele dia que um dos corredores se assustou com o tiro da largada e caiu na minha frente e eu fui junto). Gente, com esse tamanho e peso que eu tenho vou junto mesmo. Tenho que correr com uma placa escrita: CUIDADO! Senão o pessoal pega pesado comigo.



Em outubro a 1ª Corrida Centro Histórico de Guarulhos onde consegui minha segunda vitória na geral feminina do ano.


E depois de muito tentar, o recorde dos 5km chegou na Corrida Shopping Internacional de Guarulhos, 19:21.


A terceira vitória na geral feminina na 3ª Corrida 15 de Novembro, 1 minuto e 02 segundos mais rápido em comparação a ultima prova realizada no mesmo percurso.


Foto: Tião Moreira

E para fechar o ano de corridas, a tradicionalíssima 49ª Corrida Sargento Gonzaguinha, recorde pessoal nos 15 Km (1h 03:56).



O ano esportivo foi melhor no segundo semestre, onde encontrei mais tempo para treinar e descansar. O primeiro foi corrido por causa da faculdade e todo aquele estresse que passamos no ultimo semestre do curso. Mas graças a Deus passou.



Desejo um excelente ano novo e treinamento.


Até ano que vem.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Presente do papitreinador


Como é importante ter alguém que se preocupa em você acordar sempre na hora certa para ir aos treinos. 
Ganhei do meu papitreinador mais um despertador para a minha coleção. 
Tenho outros para não ter problema de perder o treino.
A manhã para mim é o melhor momento para correr, trabalho durante o dia e a noite pode ocorrer algum imprevisto. É melhor ir logo cedo se divertir na pista de corrida.
Só que não é todo mundo que é assim, às vezes tenho que quase "jogar" alguém (o papitreinador) para fora da cama de manhã para irmos ao treino. 
Já vou colocá-lo para despertar hoje junto com os outros para a correria de amanhã.



domingo, 27 de dezembro de 2015

McFarland, USA

Ser professor é mais do que uma profissão, é uma missão.
Descobrir talentos, fazer com que eles acreditem em si, busquem a evolução para o sucesso, satisfação pessoal e que assim, se transformem em indivíduos que se destaquem na multidão com caráter e dignidade.
O personagem de Kevin Costner, no filme McFarland USA, Jim White, é um mestre que vai além em se tratando do ensino tradicional adotado em grande parte das instituições de ensino. Ele se preocupa em orientar jovens que sejam também vencedores na vida, passando a importância da luta, garra e trabalho duro.
Só que infelizmente, nem todos os alunos estão comprometidos.
Logo no início do filme, White perde a paciência com um de seus jogadores durante um jogo de futebol americano. Por causa do incidente, ele e sua família tem que se mudar para uma cidade pequena na Califórnia que possui em sua maioria imigrantes mexicanos e descendentes.
White nota que alguns tem uma aptidão natural para a corrida, e com isso, decide formar uma equipe de Cross Country na escola.
Algo que é questionado pelo diretor é se o treinador tinha experiência na modalidade.
White nunca tinha treinado atletas para a corrida e muito menos sido um, mas ele tinha o que chamamos de "olho" para a coisa. Ele sabia logo no início a capacidade de cada um no esporte, e onde com treinamento poderiam chegar.

Mas os mestres também erram. Jim peca quando coloca sua equipe para competir contra atletas mais experientes, não os treinando como deveriam. Com isso, seu principal corredor perde justamente na subida.
Sei que muito corredores reclamam e não gostam dela, mas a subida é importante para o atleta, principalmente se a prova tiver subida. Além da subida trazer condicionamento melhor ao corredor.

Quem nunca perdeu o ritmo na corrida? Isso também aconteceu com um outro atleta de White que impôs logo no começo um ritmo muito forte e sofreu para concluir a prova.
Para isso, é fundamental você conhecer as suas condições e respeitá-las. Corra por você e para você. Não importa os seus adversários. Deixe para a segunda metade da prova para acelerar o pace e até conseguir um sprint negativo.

Uma equipe de sucesso nem sempre é constituída por atletas de ponta.
Jim White tinha o "ancora", aquele que é a base de sustentação da equipe, não por ser o mais rápido, mas sim, aquele que era sempre o ultimo dos treinos e provas, e com isso, aprendeu a perder e se fortaleceu psicologicamente mais do que os demais. Chegando ao ponto que ele foi o "ancora" necessário para impulsionar a equipe ao lugar mais alto do pódio.

Conclusão


Dizem que quem corre é tudo "louco", pois bem, isso é verdade.
Você precisar aprender a conviver com o medo, a ansiedade e a dor, todos somos seres humanos e na corrida sempre dar aquele frio na barriga, todos sofremos, mas vence aquele que sabe controlar as próprias emoções e a lidar melhor com os "perigos" e dores.
Perder nos fortalece mais do que a vitória, nos prepara para a vida. Dias difíceis, situações estressantes, maior a luta e melhores histórias.
E por ultimo, Jim White nos ensinou que mudanças são necessárias, servem como lição, mesmo se no início parecerem assustadoras.
Encontre uma necessidade e crie oportunidades de sucesso.

"Nós voamos como pássaros sobre as árvores,
flutuando num vento morno.
Ganhamos a terra, a terra é nossa.
Falamos a língua dos pássaros.
Não mais imigrantes,
nem estúpidos mexicanos.
Quando corremos nosso espíritos voam.
Falamos com os deuses,
nos somos os deuses."
Trecho do filme


Ficha Técnica

Filme: McFarland USA
Diretor: Niki Caro
Gênero: Drama
Ano: 2015

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Feliz Natal!

O Natal para mim é o feriado que mais gosto e também o mais importante, não somente um momento de reunir a família, amigos, com um lindo banquete e compartilhar presentes, mas também é o dia do nascimento do menino Jesus.
Só tenho a agradecer por mais um ano que está quase concluindo, com minha família e amigos vivos e com saúde e proteção. Não existe benção maior que essa. Obrigada Senhor!


12ª temporada de corrida quase terminando!

A 12ª temporada de corrida está próxima de acabar.
Parece que foi ontem que iniciei no esporte, a dificuldade dos primeiros treinos e das subidas nas primeiras provas não são nada perto do que são hoje.

Dores, fracassos, vitórias, derrotas, bolhas, suor, cansaço, a privação de uma vida "normal" digamos que a maioria dos jovens possuem, com festas, amizades, relacionamentos, viagens e afins.

Quando se é corredor(a), o foco é no esporte, também trabalho e conclui o ensino superior, mas o dia sempre inicia com um treino matinal, faça sol, chuva, vento, verão, inverno, neve (mentira, onde moro não faz neve)... Estamos lá!

Uma vida de correria, fins de semana acordando antes do galo e sol, pegando ônibus, trem, metrô, carro ou qualquer outro jeito de se locomover até o próximo desafio.

Treinos e mais treinos, uma, duas, três vezes em um mesmo dia.

As restrições alimentares e a estranheza das pessoas quando você solta a seguinte frase: "Não posso, tenho treino".

Ter paciência de lidar com pessoas que pensam (só pensam claro), que entendem de corrida e sempre perguntam: "Já correu a 'Maratona da São Silvestre'"?!

Ter um vocabulário próprio de corrida que deixam as demais pessoas pensando que você fala um outro idioma: fartlek, tiro, intervalado, pace, endorfina, altimetria, coelho, bater no muro, lactato, longão, overtraining, pipoca, Vo2 Máximo, caixote, pronador, supinador, neutro, quebra de ritmo, recuperação ativa, rodagem, trote e por ultimo mas não menos importante que é o nome do blog Sprint Negativo.



Vamos para a 13ª temporada!!!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Grazielle Pedroso consegue mais uma vitória

No mês passado, compartilhei com vocês um pouco da carreira esportiva da atleta Grazielle Pedroso (http://sprintnegativo.blogspot.com.br/2015/11/venha-para-maratona-de-santiago-com.html) e a sua campanha "Venha para a Maratonha de Santiago com a Grazi!"
Mesmo com 6 dias restantes para encerrar a arrecadação da sua meta, Grazi conseguiu o valor desejado.
Quero agradecer pelos que puderam contribuir e fazer com que mais um sonho da nossa atleta se tornar realidade.
Obrigada Grazi pela sua amizade, a minha contribuição não foi muita, somente através do blog e divulgação na internet, mas foi de coração.

Sucesso!





Grazi, eu e Nilva na corrida Sargento Gonzaguinha



Uma estrela atleta no céu

Sempre divulgo no blog notícia felizes, mas infelizmente hoje a notícia é de tristeza, o atleta Jackson Senigalia sofreu um acidente automobilístico e veio a falecer ontem.
Quem era seu amigo nas redes sociais, sempre o via compartilhando suas aventuras na corrida, o seu dia a dia e a sua família. Senigalia era casado e pai de uma menina que muito cedo além de acompanhá-lo nas corridas e subi em pódios juntos, também a inscrevia em provas infantis.
Lembro que na ultima vez em que nos encontramos, foi em uma competição no parque Ecológico do Tietê, ele me deu parabéns pelo pódio e disse que ficaria muito feliz de ver e acompanhar a carreira esportiva da sua filha nas corridas quando estiver competindo em provas adultas.


Jackson e sua filha Maria (Fonte do seu Facebook: https://www.facebook.com/jackson.senigalia)




Senigalia e Edicarlos Rodrigues (fonte do facebook do Edicarlos: https://www.facebook.com/edicarlos.rodrigues.585?fref=ts)


Meus sentimentos a família e que o Senhor esteja com todos nós. 

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

49ª Corrida Sargento Gonzaguinha 2015

Olá companheiros de asfalto.
No ultimo domingo (13/12), participei da minha ultima prova do ano, a Corrida Sargento Gonzaguinha na Escola de Educação Física da Polícia Militar, Avenida Cruzeiro do Cruz, em São Paulo.
O evento contou com duas distâncias: 5 e 15 Km. Corri os 15 Km (1h03:56) onde consegui superar o meu tempo pessoal anterior na distância em 1 minuto e 24 segundos.

Também conheci a atleta Grazielle Pedrosa que foi a terceira colocada na geral feminina, (já contei um pouco de sua carreira aqui e da sua campanha "Venha para a Maratona de Santiago com a Grazi"http://sprintnegativo.blogspot.com.br/2015/11/venha-para-maratona-de-santiago-com.html) e o atleta Antônio Gonçalves Oliveira Neto, todos do Facebook.

Além de rever a Nilva Nunes que foi quarta colocada, Nathalia Barbosa e atletas guarulhenses Ana Cláudia Emperador, Francisco Barros, Miriam Ando e família.

Classificação:

Geral Feminina 15 Km

1ª Conceição de Maria Carvalho Oliveira
2ª Maria Bernadete Cabral
3ª Grazielle Francelino Pedroso

Geral Masculina 15 Km
1º Joel Ferreira Junior
2º Luiz Ferreira de Mesquita
3º José Roberto de Pereira de Jesus

Geral Militar Feminina
1ª Gosele Barros de Jesus
2ª DRIKA - Adriana Lima Santos
3ª Maria Aparecida Vecchio

Geral Militar Masculina
1º Leandro Prates Oliveira
2º Roque Lane de Almeida Lara
3º Vilmar Garcia Barbosa Junior

Deficientes:
1º Ary Carlos Dias Dos Santos
2º Felipe Leocadio Curcino
3º Aparecido Ribeiro

Cadeirantes:
1ª Aline dos Santos Rocha
2º Claudio Portini
3º Welington Adriano Antunes de Souza

Geral Feminina dos 5 Km
1ª Vanessa Oliveira dos Santos Humba
2ª Nathalie Sagato Morel
3ª Lais Priscila da Silva Pereira

Geral Masculina dos 5 Km
1º Manuel André Antônio
2º Jadson Damião Ferreira
3º Johny Alan Silva

Fonte dos resultados extraída do site do organizador do evento, assim, como tem dos demais participantes da corrida.


Fotos:





Grazi, eu e Nilva


Eu e o atleta Francisco Barros



Grazi, Ana Cláudia Emperador, Nathalia Barbosa e eu



Antônio e eu







Concentração da elite

Até a próxima pessoal.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Fui pega pelo Instagram @coice_de_prea

O Instagram @coice_de_prea fez uma piadinha com uma foto que eu postei em meu Instagram que o meu papito Álvaro Levadinha tirou após eu sair da loja de tênis New Balance com meu novo "pisante" (veja:http://www.sprintnegativo.blogspot.com.br/2015/11/new-balance.html e escreveram nela. Não sei se pareço ser legal como citaram, mas se depender de mim, eu ultrapasso todo mundo na corrida, ganho até dos marmanjos. Vou pra cima mesmo, sem dó e nem piedade.




Para quem não conhece, o Instagram @coice_de_prea é um ig sobre corrida de rua de uma forma muito bem humorada. Vale a pena seguir e curtir suas publicações, além de dar muito boas risadas. Só tomem cuidado, vocês podem ser as próximas "vítimas". Aproveitem e me sigam também lá: https://www.instagram.com/levadinha_runner/
Link do Instagram da qual fui "vítima":https://www.instagram.com/coice_de_prea/

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Um pouco da minha carreira na corrida de rua

No mês passado, fui entrevistada pela minha amiga Manuella, que neste semestre, fez um projeto sobre a pratica de atividades físicas. Ela me pediu uma entrevista, vieram aqui em casa (Manu, Cleybson e Adriana) e eu falei acredito que até demais. Desculpe, sou assim mesmo, se fosse outro assunto seria bem breve, mas corrida, espera, tenho muito a dizer.  

Na reportagem, contei um pouco da minha primeira corrida, a trajetória desses anos com o papitreinador, dedicação, disciplina, alimentação, descanso, minha academia que tenho em meu quarto e a importância da pratica da corrida de rua e como ela pode transformar sua vida. Espero que gostem. Obrigada por meu entrevistarem e a paciência de ouvirem minhas histórias, já que minha outras informações não foram ao ar.